Ser Sal da Terra e Luz do Mundo

Vocês são o sal da terra. Mas, se o sal perder o seu sabor, como restaurá-lo? Não servirá para nada, exceto para ser jogado fora e pisado pelos homens. Vocês são a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte. E, também, ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo de uma vasilha. Ao contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na casa. Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus.
Mateus 5:13-16

Essas são palavras de Jesus em um dos seus maiores sermão que ele já fez, conhecido como o Sermão do Monte. Esse texto é muito conhecido por nós cristãos e muitas vezes repetidos. Escutamos ou falamos várias vezes sobre ser sal da terra e luz do mundo, mas, o qual é o significado desses termos dito por Jesus?

O que significa ser Sal da Terra?
Primeiramente, vamos analisar o que significa ser Sal da Terra e para entendermos melhor, iremos iniciar com as funções principais de um sal que é:
– Preservar alimentos da decomposição;
– Servir como tempero para dar sabor aos alimentos;
– Provocar Sede;
Quando Jesus diz que somos sal da terra, ele tem essa visão das funções do sal de cozinha. E nós, como o sal desse mundo, precisamos preservá-lo da decomposição e deterioração. Precisamos ser e fazer a diferença nesse mundo caído e corrompido. Precisamos salgar as pessoas. Fazer elas enxergarem a beleza do Evangelho. Precisamos provocar sede nas pessoas. Quando ingerimos sal é normal termos sede, e da mesma forma deve ser quando as pessoas têm contato com um cristão, ela precisa ver a diferença no modo de vida dela e ter sede de conhecer o Senhor.

Já vimos que o sal da sabor e livra da decomposição. Mas, o seu excesso faz as coisas ficarem intragável. Um exemplo é quando cozinhamos, se colocarmos pouco sal, a comida fica sem gosto, se colocarmos muito sal, a comida fica intragável. O sal deve ser na medida certa, nem pouco e nem muito. Um outro exemplo é o mar morto. Ele recebe esse nome devido o excesso de sal que tem em suas águas, e esse mesmo excesso faz com que não exista vida marinha no mar. Esse mesmo mar é algumas vezes conhecido por ser um lago de água salgada devido ele não desaguar no oceano. Por ele ser parado e ter muita salinidade, não produz vidas em suas águas e nos deixa um exemplo de como não sermos na vida cristã. O sal é bom, mas, se ele não cumprir com sua obrigação, “nada mais presta a não ser jogado fora e pisado pelos homens”. O excesso de sal parado no mar, mata a vida marinha, ou seja, a inatividade do sal causa morte. Assim também é a vida cristã, se não produzimos, se somos inativos, estamos causando morte, ou já estamos mortos. Nós como sal dessa terra, não fomos chamados para ficarmos parados, de braços cruzados vendo o mundo se perder cada dia mais, mas, fomos chamados para ser e fazer a diferença nesse mundo.

O que significa ser luz do mundo?
Agora que vimos o que significa ser sal da terra, iremos falar um pouco sobre o significado de ser a luz do mundo. Primeiramente, temos que entender que a luz é na verdade Cristo e refletimos a sua luz quando andamos em seus caminhos. Algumas religiões vão dizer que temos luz própria, que temos uma áurea boa, mas é uma mentira. Não temos luz própria, somos chamados a ser luz do mundo não por conta da nossa luz, mas da que está em Cristo. Se tivermos luz própria não precisaríamos de Cristo e nem do seu sacrifício, seríamos bom o suficiente para sermos salvos. Se precisamos do sacrifício de Cristo, é sinal de que Ele é a luz que ilumina nossos caminhos, e por andar nela, refletimos essa luz para o mundo. O texto também diz, que a luz deve estar num local apropriado para que todos vejam, isso significa que devemos nos posicionar diante das situações desse mundo e não devemos nos esconder. Se colocarmos uma luz debaixo da cama, algumas pessoas ainda conseguirão ver a luz, mas seu efeito vai estar contraído e muitos não enxergarão. Se colocarmos ela no alto, mais pessoas poderão enxergar e ir em direção a ela. Um exemplo é quando subimos a um monte de noite. Por mais escuro, alto e longe da cidade que seja o monte, você sempre vai enxergar uma luz ao olhar o horizonte. Por mais distante que esteja, sempre irá ver uma iluminação de uma casa ou de uma rua. Talvez em cima do monte, ela pareça ser fraca e pequena, mas, quanto mais se aproximar dela, mais forte e maior parecerá. Da mesma forma é a vida cristã. Se estivermos longe de Cristo, a luz pode até parecer fraca e pequena, mas quanto mais nos aproximarmos dEle, mas forte e capaz de nos cobrir parecerá.

Conclusão:
Somos chamados a ser sal da terra e luz do mundo para fazermos a diferença entre a sociedade. A salgarmos as pessoas com o nosso amor e Evangelho, a provocar sede pelo Reino de Deus nas pessoas, a nos posicionarmos diante do mundo para que as pessoas possam enxergar e andar na luz de Cristo que existe em nós. Quero terminar com a paráfrase que o teólogo Eugene Peterson trouxe desse texto na versão da Bíblia A Mensagem, creio que essa paráfrase dele explica muito bem a mensagem que Cristo quis deixar para nós:
“Permitam-me dizer por que vocês estão aqui. Vocês estão aqui para ser o sal que traz o sabor devido à terra. Se perderem a capacidade de salgar, como as pessoas poderão sentir o tempero da vida dedicada a Deus? Vocês não terão mais utilidade e acabarão no lixo. Há uma outra maneira de dizer a mesma coisa: vocês estão aqui para ser luz, para trazer as cores de Deus ao mundo. Deus não é um segredo a ser guardado. Vamos torná-lo público, tão público quanto uma cidade num plano elevado. Se faço de vocês portadores da luz, não pensem que é para escondê-los debaixo de um balde virado.”

Compartilhe este conteúdo em suas redes sócias:
Imagem padrão
Sérgio Luiz

Apaixonado por teologia e pela bíblia. Pós-graduado em Estudos Bíblicos do Novo Testamento pela universidade Unicesumar. Coordenador e professor da rede de ensino de sua igreja local.

Artigos: 126