Salmos 27

Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem terei temor? O Senhor é o meu forte refúgio; de quem terei medo? Quando homens maus avançarem contra mim para destruir-me, eles, meus inimigos e meus adversários, é que tropeçarão e cairão. Ainda que um exército se acampe contra mim, meu coração não temerá; ainda que se declare guerra contra mim, mesmo assim estarei confiante. Uma coisa pedi ao Senhor e a procuro: que eu possa viver na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a bondade do Senhor e buscar sua orientação no seu templo. Pois no dia da adversidade ele me guardará protegido em sua habitação; no seu tabernáculo me esconderá e me porá em segurança sobre um rochedo. Então triunfarei sobre os inimigos que me cercam. Em seu tabernáculo oferecerei sacrifícios com aclamações; cantarei e louvarei ao Senhor. Ouve a minha voz quando clamo, ó Senhor; tem misericórdia de mim e responde-me. A teu respeito diz o meu coração: Busque a minha face! A tua face, Senhor, buscarei. Não escondas de mim a tua face, não rejeites com ira o teu servo; tu tens sido o meu ajudador. Não me desampares nem me abandones, ó Deus, meu salvador! Ainda que me abandonem pai e mãe, o Senhor me acolherá. Ensina-me o teu caminho, Senhor; conduze-me por uma vereda segura por causa dos meus inimigos. Não me entregues ao capricho dos meus adversários, pois testemunhas falsas se levantam contra mim, respirando violência. Apesar disso, esta certeza eu tenho: viverei até ver a bondade do Senhor na terra. Espere no Senhor. Seja forte! Coragem! Espere no Senhor.
Salmos 27:1-14

O Salmo 27 é de autoria do rei Davi e um belíssimo texto em que o salmista anela pela presença de Deus. Este salmo é formado por duas partes: a primeira, é um testemunho de confiança em Deus, em meio aos maiores perigos (versos 1 ao 6); a segunda, é uma súplica individual, que brota dessa atitude de confiança (versos 7 ao 14).

Diferentemente de outros salmos do rei Davi, nesse não temos nenhuma informação de quando foi escrito por ele. Alguns teólogos, chegam a citar uma situação ou outra, mas não há exatidão e nem concordância entre eles.

Ao iniciar o primeiro verso, vemos Davi citando o Senhor como Luz e Salvação. Esse termo “luz” é um tipo de metáfora que simboliza tudo o que deriva da verdade e do amor, as mais belas virtudes, o poder e alegria da vitalidade. Se Deus é a nossa Luz e Salvação não há o que temer. Não iremos simplesmente ignorar o mal ou as coisas ruins que acontecem, mas iremos colocar a nossa confiança na luz que ilumina os nossos caminhos, no salvador que nos salva até daqueles que armam ciladas contra nós.

O texto começa falando sobre confiar em Deus, sobre a vitória dos fiéis contra os infiéis e até mesmo sobre manter uma fé inabalável diante de uma situação difícil (Salmos 27:1-3). Mas, a parte que mais amo no salmo é justamente o versículo 4, em que o salmista declara o amor pela casa de Deus. O verso começa falando: “Uma coisa peço ao Senhor”, já na versão King James traduz como “Um anseio manifestei ao Senhor”. Qual tem sido o nosso anseio? Em conquistar coisas materiais? Em ter uma vida equilibrada? Em ser algo nessa vida? Talvez ser alguém importante? Esse não era o anseio do salmista! O anseio dele era estar na presença de Deus dia após dia. O anseio do salmista era tanto, que naquela época ainda não existia um templo físico e o próprio Davi quis construir um templo para Deus (2 Samuel 7:1-2 e 1 Crônicas 17:1).

Em uma época em que muitos não amam a casa de Deus, nem ao menos a frequentam e dão o seu devido valor, temos muito que aprender com as palavras do rei Davi. O que está sendo dito aqui, não é somente um amor pela casa de Deus, mas uma sequência de acontecimentos em nossa vida quando estamos na presença dEle, contemplando a sua face. Vejamos o que Davi relata:

1° – No dia de adversidade ele nos protegerá e estaremos abrigados no seu tabernáculo: “Pois no dia da adversidade ele me guardará protegido em sua habitação; no seu tabernáculo me esconderá e me porá em segurança sobre um rochedo.” Salmos 27:5
É na casa de Deus, no meio da sua presença e da comunhão com os nossos irmãos que vêm a força para vencermos as dificuldades.

2° – Nossa vitória virá: “Então triunfarei sobre os inimigos que me cercam. Em seu tabernáculo oferecerei sacrifícios com aclamações; cantarei e louvarei ao Senhor.” Salmos 27:6
Não somente iremos vencer nossas batalhas, mas precisamos sempre voltar com coração cheio de louvor e gratidão.

3° – Compreendemos o que quer dizer buscar a presença de Deus: “A teu respeito diz o meu coração: Busque a minha face! A tua face, Senhor, buscarei.” Salmos 27:8
Essa expressão “buscar a face” no original significa, ir consultar a Deus em seu santuário. Muitas vezes é nesse lugar que recebemos muitos dos nossos direcionamentos para a nossa vida.

4° – Ele não esconde a sua face de nós, nem mesmo se nossos pais nos abandonarem. Ele sempre continua conosco: “Não escondas de mim a tua face, não rejeites com ira o teu servo; tu tens sido o meu ajudador. Não me desampares nem me abandones, ó Deus, meu salvador! Ainda que me abandonem pai e mãe, o Senhor me acolherá.” Salmos 27:9-10

Davi não se tornou apenas um adorador que busca a presença de Deus, mas também um seguidor que se compromete a seguir o Caminho, ao longo do qual encontra obstáculos e resistência dos inimigos. Em sua oração, não pede conforto, mas o progresso certo (Salmos 27:11-12).

O salmo termina dizendo uma das coisas mais difíceis de ser ver em nossa geração. Esperar em Deus! Mas, não somente uma simples espera, mas, com bom ânimo e fortalecendo o nosso coração.

Que hoje o nosso coração possa ser cheio das palavras desse salmo. Que possamos ansiar pela presença de Deus, que estar em sua casa seja uma alegria constante em nossa vida e por fim que possamos aprender a esperar, confiar e fortalecer o nosso coração nEle!

Compartilhe este conteúdo em suas redes sócias:
Imagem padrão
Sérgio Luiz

Apaixonado por teologia e pela bíblia. Pós-graduado em Estudos Bíblicos do Novo Testamento pela universidade Unicesumar. Coordenador e professor da rede de ensino de sua igreja local.

Artigos: 126