Quando a afronta vem contra o nosso Deus

Ora, Senaqueribe fora informado de que Tiraca, rei etíope do Egito, estava vindo lutar contra ele, de modo que mandou novamente mensageiros a Ezequias com este recado: Digam a Ezequias, rei de Judá: Não deixe que o Deus no qual você confia o engane, quando diz: Jerusalém não cairá nas mãos do rei da Assíria. Com certeza você ouviu o que os reis da Assíria têm feito a todas as nações, como as destruíram por completo. E você haveria de livrar-se? Acaso os deuses das nações que foram destruídas por meus antepassados as livraram: os deuses de Gozã, Harã, Rezefe e do povo de Éden, que estava em Telassar? Onde estão o rei de Hamate, o rei de Arpade, o rei da cidade de Sefarvaim, de Hena e de Iva?
2 Reis 19:9-13

Neste texto vemos claramente uma afronta contra o Deus vivo, bem semelhante com aquela que o gigante Golias teve ao enfrentar o exército de Israel. Nesse caso, vemos o rei da Assíria, Senaqueribe, afrontando ao Deus de Israel, dizendo ao rei Ezequias que ele não deveria confiar em seu Deus, afinal ele já tinha derrotado outras nações e nenhum dos deuses desses povos pode livrá-los dele.

Nesta história, vemos dois erros de Senaqueribe, o primeiro foi que ele pensou que os falsos deuses das nações que ele tinha derrotado era semelhantes ao Deus de Israel. Já o segundo erro de Senaqueribe, foi ser soberbo e pensar que todas as batalhas já seria vencidas só pelo simples fato dele ter vencido outras anteriormente.

O resultado dessa afronta não foi rebeldia por parte do rei Ezequias, nem ir para um guerra impensável, o rei simplesmente, como homem temente a Deus que era, se humilhou e orou a Deus. Não apenas pelo fato de poder perder a batalha e o seu reinado, mas porque ele entendeu que antes de qualquer batalha que ele enfrentaria, a principal batalha era do Senhor. O Ezequias ora de uma forma clara e objetiva, dizendo que as palavras de Senaqueribe era uma afronta ao Deus Vivo e que os outros deuses derrotados eram somente obras de mãos humanas, mas o Deus que é Criador de todas as coisas é diferente e algo precisaria acontecer para que todos os reinos soubessem que existem apenas um Único Deus.

Dá ouvidos, Senhor, e vê; ouve as palavras que Senaqueribe enviou para insultar o Deus vivo. É verdade, Senhor, que os reis assírios fizeram de todas essas nações e seus territórios um deserto. Atiraram os deuses delas no fogo e os destruíram, pois não eram deuses; eram apenas madeira e pedra moldadas por mãos humanas. Agora, Senhor nosso Deus, salva-nos das mãos dele, para que todos os reinos da terra saibam que só tu, Senhor, és Deus.
2 Reis 19:16-19

Depois da oração de Ezequias, algo realmente acontece, um anjo do Senhor matou naquela noite 185.000 homens. A vergonha foi tão grande para o rei Assírio, que os seus próprios filhos o mataram. Deus mostrou-se para todas as nações que existe somente um Deus, e que não há outro digno de ser adorado e exaltado. Às vezes, vemos afrontas semelhantes a essa que o rei Ezequias escutou, e ficamos bravos, chateados e até irados, queremos muitas vezes até mesmo responder da mesma forma, com afrontas. Mas, através deste texto, vemos que não precisamos devolver na mesma moeda as afrontas recebidas, devemos apenas ser como Ezequias, orar a Deus e pedir que a sua justiça seja feita, afinal, Deus não precisa que sejamos o seu advogado, Ele já é o Maior e Melhor advogado que existe!

Compartilhe este conteúdo em suas redes sócias:
Imagem padrão
Sérgio Luiz

Apaixonado por teologia e pela bíblia. Pós-graduado em Estudos Bíblicos do Novo Testamento pela universidade Unicesumar. Coordenador e professor da rede de ensino de sua igreja local.

Artigos: 126