O que significa receber o Reino como uma criança?

O povo também estava trazendo criancinhas para que Jesus tocasse nelas. Ao verem isso, os discípulos repreendiam aqueles que as tinham trazido. Mas Jesus chamou a si as crianças e disse: “Deixem vir a mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino de Deus pertence aos que são semelhantes a elas. Digo a verdade: Quem não receber o Reino de Deus como uma criança, nunca entrará nele”.
Lucas 18:15-17

A maioria dos cristãos concordam que as crianças serão salvas no dia do arrebatamento da igreja. O que não existe uma concordância, é a respeito do motivo que elas serão salvas. Alguns vão dizer que elas serão salvas devido a sua bondade. De fato, elas tem uma certa bondade, mas, não é por esse motivo que elas serão salvas. A bondade que as crianças têm, ou até mesmo os adultos demonstram, não lhe garante o direito de salvação. O apóstolo Paulo retrata isso muito bem em Romanos 3:10-12: “’Como está escrito: Não há nenhum justo, nem um sequer; não há ninguém que entenda, ninguém que busque a Deus. Todos se desviaram, tornaram-se juntamente inúteis; não há ninguém que faça o bem, não há nem um sequer”. Quando o apóstolo fala que todos pecaram ou se desviaram, ele quer dizer todas as pessoas, incluindo as crianças.

Talvez você pense, mas, crianças não tem as mesmas atitudes dos adultos, nem as mesmas maldades. Concordo plenamente. Mas, o instinto da criança já vem de uma natureza caída. Mesmo a criança agindo muitas vezes na inocência, a natureza pecaminosa vive dentro dela. Quer um exemplo? Vamos lá! A maioria que está lendo esse artigo tem contato com crianças ou se não tem contato já foi uma. Quando você diz para a criança, não toque aqui, você já está pensando nas consequências do que pode acontecer se ela tocar. A criança não entende essas consequências, ela só entende que quer descobrir o motivo de não poder tocar em tal lugar ou objeto. Repare que o mesmo instinto de querer tocar em algo proibido, foi o mesmo instinto que Eva teve ao reparar o fruto proibido, de descobrir o motivo de tal proibição. Assim que termina de falar para a criança e vira as costas, o que acontece? Ela vai lá e toca justamente onde você disse para não tocar. Se for algo quente, por exemplo um forno quente ou um ferro ligado, a criança vai sentir as consequências imediatamente e irá iniciar um choro descontrolado por causa da dor que está sentindo. Logo, você vai descobrir o inevitável, ela desobedeceu a uma ordem sua e tocou onde não poderia. Mas, se pensarmos que é um objeto que não traz consequências para a criança, mas somente para você. Por exemplo, se ela tocar em algum instrumento musical que você tenha em casa, você sabe que ela pode quebrá-lo. Já a criança, não entende a consequência de um instrumento musical quebrado, ela simplesmente pega o instrumento e deixa cair, imediatamente ela corre e se esconde, afinal, desobedeceu a uma ordem direta. Você chega ao local onde estava guardado o instrumento, e vê ele no chão. Você logo pensa que a criança o deixou cair. Vai até ela e faz uma pequena pergunta: Você mexeu no instrumento do papai? Com certeza, ela vai dizer: Papai, me desculpa, eu não resisti a tentação e acabei deixando o cair. Só que não! Ela vai virar e dizer que não. Muitas ainda irão abaixar a cabeça de vergonha e colocar a mão para trás. Veja novamente que é o mesmo exemplo de Adão e Eva após o pecado, sentir vergonha e querer se esconder. Agora, fica uma pergunta: quem ensinou a criança mentir? Ninguém, isso vem da nossa natureza caída. Ninguém precisa ensinar fazer o que é errado, porque a nossa natureza já caminha para isso. Já fazer o certo, precisa ser ensinado. Por isso, os pais gastam horas e horas ensinando a criança no caminho que devem andar.

Com esse exemplo, acredito que tenha ficado claro, que a criança não é salva por ela ser bondosa, vimos que já existe o pecado dentro dela e Deus como um ser Santo não pode ver o pecado. Afinal, por que elas são salvas? Elas são salvas devido a falta de capacidade de discernir. Elas não conseguem ter um discernimento como um adulto, de saber o que é bom ou o que é mal. Como no exemplo citado, elas não podem discernir que o motivo de ser proibido tocar nos instrumentos musicais, é que podem acabar caindo, quebrando e causando um prejuízo financeiro para os pais ou o dono deles. Elas não conseguem discernir que precisam comer legumes e verduras para ter uma alimentação saudável, mesmo as vezes não gostando de tais alimentos. Da mesma forma, não conseguem discernir que o pecado os afasta de Deus e que viver uma vida em santidade as aproxima dEle. Não conseguem nem entender com exatidão o significado de céu e inferno.

Um outro motivo de serem salvas, é devido a pureza de pensamentos. As crianças não têm esse pensamento lascivo, soberbo e orgulhoso que muitas vezes rondam a nossa mente. Elas são puras. Se um pai colocar a sua criança no lugar alto e mandar ela pular, que ele o segurará, é bem provável que ela irá pular, pois, a sua pureza faz acreditar que seu pai a ama, e que ele nunca irá deixar ela cair e machucar. Quando Jesus fala que o Reino de Deus é das crianças, Ele está dizendo devido essas duas características delas, pela sua pureza e falta de um discernimento em sua totalidade. Mas, quando Jesus diz que o Reino de Deus é de quem são semelhantes a elas, não está dizendo que não devemos ter discernimento. Em várias passagens da Bíblia, é nos dito para sermos prudentes e usarmos de discernimento, porque quando não usamos, somos como crianças que precisam de leite materno, quando já podíamos comer alimentos sólidos. Ter falta de discernimento para nós adultos é comparado a crentes imaturos. O que Jesus quer dizer neste texto, é que devemos ser dependentes como as crianças. A criança é dependente dos pais, assim como nós devemos ser dependentes do nosso Pai que está no céu.

Para concluir, quero dizer, que as crianças são salvas devido a sua imaturidade de entender o que é o certo e o errado, elas não conseguem discernir todas as coisas perfeitamente. São salvas devido a sua pureza de pensamentos. Já, nós cristãos, não devemos ser imaturos como as crianças. Mas, devemos ter a mesma pureza que elas possuem, e ter essa dependência do Pai. Só quem entende que não é autossuficiente, que não é auto dependente, pode entrar no Reino de Deus. Só quem entende que a nossa suficiência e dependência está no Senhor poderá receber o Seu Reino. Que venha ser encontrado em nós, esse coração dependente de Deus, que ama a Ele e deseja fazer a sua vontade mais do que tudo.

Compartilhe este conteúdo em suas redes sócias:
Imagem padrão
Sérgio Luiz
Apaixonado por teologia e pela bíblia. Pós-graduado em Estudos Bíblicos do Novo Testamento pela universidade Unicesumar. Coordenador e professor da rede de ensino de sua igreja local.
Artigos: 30