O que significa jugo desigual?

Não se ponham em jugo desigual com descrentes. Pois o que têm em comum a justiça e a maldade? Ou que comunhão pode ter a luz com as trevas? Que harmonia entre Cristo e Belial? Que há de comum entre o crente e o descrente? Que acordo há entre o templo de Deus e os ídolos? Pois somos santuário do Deus vivo. Como disse Deus: “Habitarei com eles e entre eles andarei; serei o seu Deus, e eles serão o meu povo”. Portanto, “saiam do meio deles e separem-se”, diz o Senhor. “Não toquem em coisas impuras, e eu os receberei” e “serei o seu Pai, e vocês serão meus filhos e minhas filhas”, diz o Senhor todo-poderoso.
2 Coríntios 6:14-18

Quando falamos sobre jugo desigual, logo vem a nossa mente relacionamentos amorosos de crentes com descrentes. Mas, o que realmente significa jugo desigual? O que Paulo tinha em mente quando escreveu esses versículos?

Primeiramente, para entender o significado do termo jugo desigual, precisamos entender no contexto que o apóstolo Paulo vivia. Essa imagem acima mostra exatamente o que é um jugo. Uma junta de bois, ou seja, um objeto que unia dois bois para que andassem no mesmo compasso, enquanto puxavam o carro de boi.

Segundo, precisamos entender o que significa jugo desigual. Conforme a imagem acima, vemos que o jugo desigual é quando você coloca um objeto criado para dois animais de mesma espécie para andar juntos, com animais de espécies diferentes. Vemos na imagem, que um boi e um burro não tem o mesmo tamanho, nem a mesma estrutura, nem terão os mesmos passos. O que irá acontecer diante disso? O carro de boi não irá andar, ou poderá até ocasionar um acidente para os tripulantes.

Quando o apóstolo Paulo diz para não se colocar em jugo desigual, é exatamente isso que ele quer mostrar. Não tem como um cristão andar com um não descrente. Andar aqui, não no sentindo de companhia passageira, mas em algo duradouro, em um relacionamento. Não se isolar do mundo e das pessoas que não são cristãs, mas de entrar em sociedade com elas. Não apenas sociedade de um relacionamento amoroso, mas também, num sentindo de sociedade de quem não teme a Deus, ou não tem a Ele como prioridade na vida. Um exemplo que podemos citar é o de sociedade empresarial. Imagina você abre uma empresa com alguém que não tem como prioridade o nosso Senhor. Vem o final do mês, vocês irão realizar o balanço da empresa, verificar o lucro, e você como um bom cristão vai querer retirar 10% do lucro e devolver o dízimo na igreja. Seu sócio, como um não cristão, poderá achar isso um absurdo. O que irão fazer? Qual decisão irão tomar? Ou então, a empresa está passando por alguns problemas, e uma das alternativas que é apresentada para você, é agir de forma que você irá mentir e tomar atitudes que são proibidas por lei. Você novamente como um bom cristão, não vai querer seguir por esse caminho, mas o seu sócio novamente, poderá te convencer a seguir, afinal todo mundo faz isso. O que será dessa empresa em assuntos básicos assim, em que ambos tem opiniões diferentes e óticas diferentes?

Esse exemplo, é de apenas uma sociedade que realizamos, que é a empresarial. Mas, e tantas outras que há além da empresarial e amorosa. Por isso, o apóstolo Paulo nos diz claramente que não há comunhão entre crentes e descrentes, ou entre a justiça e a maldade, ou entre a luz com as trevas, ou entre Cristo e Belial (outros deuses, ou até o próprio diabo), ou entre o templo e os ídolos. Ele ainda diz que somos templo do Deus vivo, habitação dEle.

Quando o apóstolo escreveu esses versículos, ele não tinha apenas a intenção de exortar quanto as sociedades que realizamos, mas, tinha a intenção de exortar a igreja e a cidade de Corinto. Ao estudar a igreja de Corinto, vemos que era uma igreja que mais tinha exortações de Paulo. A igreja tinha problemas com divisões, com imoralidade, com dons espirituais, isso mesmo, aquilo que foi criado para ser benção em nossa vida estava causando problemas na igreja. Tinha problemas até mesmo a respeito da ressureição de Cristo. Mas, um dos maiores problemas da cidade, era o paganismo, uma adoração a vários deuses. Na cidade havia vários templos pagãos, e muitos cristãos da época frequentavam tanto os cultos cristãos quanto os pagãos. Paulo escreve esse texto, justamente para exortar essas pessoas que queriam ter vida dupla, queriam ter uma vida na igreja e nos templos pagãos. Por isso, ele vai finalizar o texto dizendo, “Saiam do meio deles e separem-se, diz o Senhor. Não toquem em coisas impuras e eu os receberei”. Esse termo separar é exatamente o significado da palavra santo, ou seja, ser separado do mundo e separado para Deus. Esse é o objetivo da vida cristã, e aquilo que Paulo quer nos deixar. Precisamos buscar essa vida de santidade, ser separado das coisas do mundo, mesmo que às vezes necessitamos abandonar os jugos desiguais. Como eu disse, não abandonar e nem ter amizades com pessoas não cristãs. Afinal, se fizermos isso, desobedeceremos ao último mandamento de Cristo, que é testemunhar a toda a criatura. Mas, não criar qualquer tipo de sociedade com pessoas que não tem o mesmo vínculo de amor com o nosso Senhor, que não caminha no mesmo passo, na mesma visão, no mesmo modo de pensar, falar e agir.

Compartilhe este conteúdo em suas redes sócias:
Imagem padrão
Sérgio Luiz
Apaixonado por teologia e pela bíblia. Pós-graduado em Estudos Bíblicos do Novo Testamento pela universidade Unicesumar. Coordenador e professor da rede de ensino de sua igreja local.
Artigos: 30