O que é uma igreja imatura?

Até que todos alcancemos a unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, e cheguemos à maturidade, atingindo a medida da plenitude de Cristo.
Efésios 4:13

O apóstolo Paulo nos fala em diversas passagens que o objetivo de Cristo e o seu objetivo é que todos os cristãos alcancem um nível de maturidade cristã em Deus e que não sejam enganados e nem levados por erros doutrinários. Para isso, precisamos buscar melhorarmos como cristãos e ser de fato mais parecido com Cristo. Mas, o que seria biblicamente falando um cristão ou uma igreja imatura ou um cristão ou uma igreja madura? Neste artigo e no próximo, iremos falar sobre este tema e para iniciarmos iremos falar sobre o que seria uma igreja imatura.

Quando falamos de imaturidade cristã, principalmente na era da igreja, a primeira igreja que vem à mente é a da cidade de Corinto, devido a ter vários relatos de imaturidade entre os irmãos naquela cidade. Vemos tantos relatos de erros básicos, como uma imparcialidade na igreja, tanto relatos de erros grosseiros, como imoralidade entre o filho e a esposa do seu pai. Devido a esses erros, hoje traremos como exemplo a igreja de Corinto, como uma simbologia do que é uma igreja imatura e que precisa de amadurecimento urgentemente.

Uma igreja imatura é aquela que:

1 – Causa divisões entre os irmãos: “Irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo suplico a todos vocês que concordem uns com os outros no que falam, para que não haja divisões entre vocês; antes, que todos estejam unidos num só pensamento e num só parecer. Meus irmãos, fui informado por alguns da casa de Cloe de que há divisões entre vocês. Com isso quero dizer que algum de vocês afirma: Eu sou de Paulo; ou Eu sou de Apolo; ou Eu sou de Pedro; ou ainda Eu sou de Cristo. Acaso Cristo está dividido? Foi Paulo crucificado em favor de vocês? Foram vocês batizados em nome de Paulo?” 1 Coríntios 1:10-13

Uma igreja imatura causa divisões entre a membresia, se naquela época cada um estava escolhendo um homem de Deus para seguir, hoje as pessoas estão da mesma forma. Muitos dizem, se fulano for pregar na igreja eu vou, se beltrano for ministrar o louvor eu estarei presente no culto. Mas, devemos refletir, vamos ao culto por conta do ministro de louvor e do pregador ou por conta de Cristo? Se em nossa mente, existe esse pensamento de divisão, ainda somos cristãos imaturos e precisamos de Cristo para nos ajudar nesse amadurecimento. O apóstolo Paulo ainda nos diz que esse comportamento é de crianças, de pessoas carnais e não de pessoas adultas e amadurecidas:

“Irmãos, não pude falar a vocês como a espirituais, mas como a carnais, como a crianças em Cristo. Dei a vocês leite, e não alimento sólido, pois vocês não estavam em condições de recebê-lo. De fato, vocês ainda não estão em condições, porque ainda são carnais. Porque, visto que há inveja e divisão entre vocês, não estão sendo carnais e agindo como mundanos? Pois, quando alguém diz: Eu sou de Paulo e outro: Eu sou de Apolo, não estão sendo mundanos? Afinal de contas, quem é Apolo? Quem é Paulo? Apenas servos por meio dos quais vocês vieram a crer, conforme o ministério que o Senhor atribuiu a cada um.” 1 Coríntios 3:1-5

2 – Há imoralidade na igreja: “Por toda parte se ouve que há imoralidade entre vocês, imoralidade que não ocorre nem entre os pagãos, a ponto de um de vocês possuir a mulher de seu pai.” 1 Coríntios 5:1

Paulo informa não apenas de uma imoralidade na igreja, mas uma situação que não ocorre nem entre os pagãos, ou seja, nem entre aqueles que não cristãos. Podemos ver quão grave era a situação de igreja na cidade de Corinto.

3 – Há falta de disciplina: “Já disse por carta que vocês não devem associar-se com pessoas imorais. Com isso não me refiro aos imorais deste mundo nem aos avarentos, aos ladrões ou aos idólatras. Se assim fosse, vocês precisariam sair deste mundo. Mas agora estou escrevendo que não devem associar-se com qualquer que, dizendo-se irmão, seja imoral, avarento, idólatra, caluniador, alcoólatra ou ladrão. Com tais pessoas vocês nem devem comer. Pois como haveria eu de julgar os de fora da igreja? Não devem vocês julgar os que estão dentro? Deus julgará os de fora. Expulsem esse perverso do meio de vocês.” 1 Coríntios 5:9-13

Já falamos em um artigo sobre a disciplina bíblica e aqui vemos que a falta de disciplina é uma marca de uma igreja imatura. Paulo alerta os irmãos da igreja de Corinto para que eles não associem com pessoas que se dizem cristãos, mas, que tem o comportamento totalmente diferente. Eles simplesmente estavam aceitando a imoralidade e não estavam condenando aquela situação. Podemos condenar o pecado, não podemos condenar o pecador. Quem condena o pecador é Deus, nós apenas podemos discipliná-lo para que ele possa arrepender-se e voltar para os caminhos corretos.

4 – Há falta de orientação, ordenação e discernimento para resolver conflitos internos: “Se algum de vocês tem queixa contra outro irmão, como ousa apresentar a causa para ser julgada pelos ímpios, em vez de levá-la aos santos? Vocês não sabem que os santos hão de julgar o mundo? Se vocês hão de julgar o mundo, acaso não são capazes de julgar as causas de menor importância? Vocês não sabem que haveremos de julgar os anjos? Quanto mais as coisas desta vida! Portanto, se vocês têm questões relativas às coisas desta vida, designem para juízes os que são da igreja, mesmo que sejam os menos importantes. Digo isso para envergonhá-los. Acaso não há entre vocês alguém suficientemente sábio para julgar uma causa entre irmãos? Mas, em vez disso, um irmão vai ao tribunal contra outro irmão, e isso diante de descrentes! O fato de haver litígios entre vocês já significa uma completa derrota. Por que não preferem sofrer a injustiça? Por que não preferem sofrer o prejuízo? Em vez disso vocês mesmos causam injustiças e prejuízos, e isso contra irmãos!” 1 Coríntios 6:1-8

Os irmãos da igreja de Corinto estavam brigando até mesmo por questões de conflitos internos, quando um tinha queixa contra outro irmão, levava o caso ao tribunal ao invés de ser resolvido pelos líderes da igreja. A liderança da nossa igreja deve estar preparada para resolver qualquer conflito interno que possa surgir, seja ele qual for. Esses conflitos precisamos ser resolvidos com ordem, decência, prudência, discernimento e com amor. Não podemos deixar que conflitos dentro de uma comunidade seja levado para os tribunais da sociedade.

5 – Há dificuldade de entender o matrimônio:  “A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido. Da mesma forma, o marido não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim a mulher. Aos casados dou este mandamento, não eu, mas o Senhor: Que a esposa não se separe do seu marido. Mas, se o fizer, que permaneça sem se casar ou, então, reconcilie-se com o seu marido. E o marido não se divorcie da sua mulher.” 1 Coríntios 7:4,10-11

Muita gente entende o matrimônio de forma totalmente invertida e distorcida dos padrões bíblicos e na igreja de Corinto não era diferente, por isso, Paulo afirma primeiramente que a mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, que ele pertence ao marido e vice-versa. Isto, nos mostra que quando casamos somos uma só carne e por isso, não devemos ter pensamos individualistas. Precisamos olhar para o outro e pelo outro. Um outro erro que ocorre muito é quando é falado sobre o divórcio. Não quero falar aqui sobre se está correto ou não divorciar, mas reforçar o pensamento ideal de Deus, que ambos se tornariam uma só carne. Se nos tornamos uma só carne com o nosso cônjuge, se ele abençoou essa união, porque iriamos quebrar essa aliança que Ele nos deu? Não faz sentindo. Hoje, infelizmente, a maior parte dos divórcios são por motivos banais. É devido ao fato da pessoa não se comprometer fielmente a honrar e amar ao outro. Brigam por motivos fúteis e separam por motivos fúteis. Sendo que a maioria dos divorciados, já divorciaram mais de uma vez. Ou seja, o problema não está no cônjuge, está nela. O divórcio é sinal que nosso coração precisa de mais amor e precisamos de aprendermos com Cristo como amar, aquele amor incorruptível e incondicional que Ele tem por nós.

6 – Há falta de entendimento e de temor da ceia do Senhor: “Quando vocês se reúnem, não é para comer a ceia do Senhor, porque cada um come sua própria ceia sem esperar pelos outros. Assim, enquanto um fica com fome, outro se embriaga. Será que vocês não têm casa onde comer e beber? Ou desprezam a igreja de Deus e humilham os que nada têm? Que direi? Eu os elogiarei por isso? Certamente que não!” 1 Coríntios 11:20-22

Na igreja de Corinto, quando os irmão se reuniam para ceiar, não era para fazer memória ao sacrifício de Cristo, mas era apenas para se alimentar e se embriagar. Distorceram completamente os ensinos de Cristo e estavam corrompendo um costume tão lindo na igreja.

7 – Há o uso dos dons espirituais de forma desordenada: “Portanto, meus irmãos, busquem com dedicação o profetizar e não proíbam o falar em línguas. Mas tudo deve ser feito com decência e ordem.” 1 Coríntios 14:39-40

Aquilo que era para ser benção para a igreja que são os dons espirituais, era algo que causava inveja e divisão na igreja. Porque cada um expressava seu dom da forma que achava devido e o culto não tinha ordem. Para essas pessoas, Paulo diz que tudo precisa ser feito com ordem e decência. O apóstolo não proibiu o uso dos dons, mas afirmou que eles precisam ser usados com ordem. Esse exemplo serve para a nossa igreja da atualidade, para que aprendamos a valorizar a ordem no culto. Devemos nos lembrar que o culto é para Deus e não para mostrar os nossos dons e talentos que temos recebidos.

Conclusão:

Através da igreja de Corinto, temos vários exemplos do que é uma igreja imatura e de como não devemos nos portar. Que esses exemplos, nos sirvam como avisos para não sermos como a igreja de Corinto e buscarmos sermos a diferença nesse mundo tão corrompido, maligno e distorcido das vontades de Deus.

Compartilhe este conteúdo em suas redes sócias:
Imagem padrão
Sérgio Luiz

Apaixonado por teologia e pela bíblia. Pós-graduado em Estudos Bíblicos do Novo Testamento pela universidade Unicesumar. Coordenador e professor da rede de ensino de sua igreja local.

Artigos: 126