O perigo das más companhias

Meu filho, se os maus tentarem seduzi-lo, não ceda! Se disserem: Venha conosco, fiquemos de tocaia para matar alguém, vamos divertir-nos armando emboscada contra quem de nada suspeita! Vamos engoli-los vivos, como a sepultura engole os mortos; vamos destruí-los inteiros, como são destruídos os que descem à cova; acharemos todo tipo de objetos valiosos e encheremos as nossas casas com o que roubarmos; junte-se ao nosso bando; dividiremos em partes iguais tudo o que conseguirmos! Meu filho, não vá pela vereda dessa gente! Afaste os pés do caminho que eles seguem, pois os pés deles correm para fazer o mal, estão sempre prontos para derramar sangue. Assim como é inútil estender a rede se as aves o observam, também esses homens não percebem que fazem tocaia contra a própria vida; armam emboscadas contra eles mesmos! Tal é o caminho de todos os gananciosos; quem assim procede a si mesmo se destrói.
Provérbios 1:10-19

Que as pessoas ao nosso redor podem moldar o nosso caráter e características pessoais, ninguém pode duvidar. O problema maior é, quem está moldando o nosso caráter. Ou que tipo de pessoa tem nos influenciado. A Bíblia nos exorta claramente a tomar cuidado com as pessoas que estamos andando e o tipo de pessoas que estão em nosso ciclo de amizades.

O texto acima, fala claramente a respeito de guardamos o nosso coração em Deus para não deixarmos que as más companhias corrompem os nossos bons costumes. Estas palavras são inclusive repetidas pelo apóstolo Paulo em sua primeira carta aos Coríntios: “’Não se deixem enganar: “As más companhias corrompem os bons costumes.” 1 Coríntios 15:33

O salmista também nos exorta a não assentarmos com as más companhias: “Como é feliz aquele que não segue o conselho dos ímpios, não imita a conduta dos pecadores, nem se assenta na roda dos zombadores!” Salmos 1:1

E muito menos andar com eles: “Não me associo com homens falsos nem ando com hipócritas; detesto o ajuntamento dos malfeitores e não me assento com os ímpios.” Salmos 26:4-5

O apóstolo Paulo vai além, ele fala que não devemos nem ao menos comer com esse tipo de pessoa: “Mas agora estou escrevendo que não devem associar-se com qualquer que, dizendo-se irmão, seja imoral, avarento, idólatra, caluniador, alcoólatra ou ladrão. Com tais pessoas vocês nem devem comer.” 1 Coríntios 5:11

Talvez, como cristão, podemos pensar que essas são palavras duras para dizer, afinal somos crentes, e como um bom cidadão do céu, precisamos ser luz em meio as trevas. Mas, o próprio apóstolo Paulo, citando um termo que Jesus disse, afirma que: “Um pouco de fermento leveda toda a massa.” Gálatas 5:9

Paulo disse isto, porque o Senhor Jesus comparou os ensinos errados dos religiosos como um fermento: “Advertiu-os Jesus: Estejam atentos e tenham cuidado com o fermento dos fariseus e com o fermento de Herodes.” Marcos 8:15

A ideia de que um pouco de fermento leveda toda a massa parece ter sido um dito proverbial bem conhecido no primeiro século. Mas essa ideia também se ajusta muito bem ao uso metafórico do fermento na Bíblia como representação de uma influência corruptora. Por isso em várias passagens bíblica há uma conexão entre a figura do fermento e o pecado.

Ou seja, Jesus nos exortou a preocuparmos com o fermento dos religiosos, de como os pecados deles poderiam afetar as nossas vidas. Assim, também é quando nos relacionamos com pessoas que não tem nenhum temor a Deus. Se o nosso coração não estiver voltado para Deus, podemos ser levados a praticar os mesmos erros que eles. Você já parou para pensar que quando tem uma pessoa do nosso convívio que tem um sotaque diferente do nosso ou gírias diferentes da nossa, que após um tempo de convivência estamos dizendo as mesmas palavras que eles? É dessa forma que ocorre com a nossa vida. Se deixarmos ser influenciados pelo mundo, estaremos cada vez mais longe de Deus.

Devemos buscar ser como Jesus, que andou pelo mundo, mas não era do mundo. Vivia com os pecadores, mas não praticava o pecado. Que podia até andar por caminhos escuros, mas era a luz daquele caminho e trazia todos os perdidos para a sua luz. É dessa forma que devemos andar, como Ele andou. Não deixando que nossos costumes sejam corrompidos pelo meio que estamos inserido, mas, sermos a luz que irá guiar e iluminar aqueles que estão perdidos.

Compartilhe este conteúdo em suas redes sócias:
Imagem padrão
Sérgio Luiz

Apaixonado por teologia e pela bíblia. Pós-graduado em Estudos Bíblicos do Novo Testamento pela universidade Unicesumar. Coordenador e professor da rede de ensino de sua igreja local.

Artigos: 126