Bem-aventurados os puros de coração

Bem-aventurados os puros de coração, pois verão a Deus.
Mateus 5:8

Essa bem-aventurança talvez seja o alvo final da vida cristã, que é ver a Deus. O próprio autor de Hebreus nos diz que “Sem santidade ninguém verá o Senhor”(Hebreus 12:14). Não existe possibilidade de vermos a Deus se não tivermos santidade, ou seja, um coração puro. Por isso, essa bem-aventurança é o cerne de todo o Evangelho.

O significado bíblico de coração:

Nas Escrituras, coração inclui mente, emoções, motivações, desejos e vontades. Fala do homem em sua totalidade. Não é apenas um pedaço do ser humano, mas ele por completo. Quando Salomão nos ensina a guardar o coração (Provérbios 4:23), ele tinha esse entendimento, que o coração inclui a nossa vida em sua totalidade. Salomão também nos ensina que: “O coração em paz dá vida ao corpo, mas a inveja apodrece os ossos.” (Provérbios 14:30). Ou seja, se a nossa mente, nossas emoções, motivações, desejos e vontades estiverem em paz, teremos vida, caso contrário, seremos tomados pela inveja e o resultado será o apodrecimento dos nossos ossos.

O significado bíblico de pureza:

Agora que já vimos o significado de coração, falaremos sobre o que significa pureza. O termo grego original para puros no texto é a palavra ‘Kázaros’, que significa sem mistura, sem adulteração, sem resíduos e destituídos de hipocrisia.

Na época de Jesus esse termo era usado para:
1 – designar a roupa suja que foi lavada;
2 – designar o trigo que tinha sido separado da sua palha;
3 – descrever o vinho ou leite que não havia sido adulterado mediante adição de água; algo sem mescla;
4 – descrever ouro puro sem escória (resíduos que sujam o ouro).

Em todos esses sentidos que o termo era usado, separava-se o que era impuro do que era puro. Essa texto foi parafraseado de uma forma muito clara na Bíblia A Mensagem: “Abençoados são vocês, que puseram em ordem seu mundo interior, com a mente e o coração no lugar certo. Assim, vocês poderão ver Deus no mundo exterior.” Ou seja, essa pureza de coração tem muito com aquilo que somos interiormente, quando ninguém está nos vendo. Não adianta ter uma aparência exterior que agrade as pessoas, que conquiste as pessoas e não tem como mentir para Deus, por isso, não tem como vivermos de aparência. Para recebermos o Reino de Deus, não é somente necessário ser pobre de espírito, chorar pelo pecado, ser humilde, ser justo aos olhos de Deus, mas principalmente ter um coração puro. Como já vimos, o autor de Hebreus é claro ao dizer que se não tivermos esse coração puro, essa vida de santidade, jamais poderemos ver o nosso Senhor.

Ter coração puro, remete a ter uma mente pura, olhos puros, ouvidos puros, mãos puras, pés puros e boca pura, é a pureza tomando conta de todo o nosso ser. Podemos traduzir o texto da seguinte forma: “Bem-aventurado é o homem cujas motivações são sempre íntegras e sem mescla de mal algum, porque este é o homem que verá a Deus.”

Razões para termos um coração puro:

– Sem um coração puro não poderemos ver a Deus – Hebreus 12:14

– Foi uma ordem direta de Deus para o seu povo – “Pois eu sou o Senhor, o Deus de vocês; consagrem-se e sejam santos, porque eu sou santo.” Levítico 11:44
Ser santo não é somente uma ordem dEle, mas nos torna mais parecido com Ele, afinal fomos feito a sua imagem e semelhança, por isso devemos resplandecer a imagem dele para as pessoas a nossa volta.

A recompensa para aqueles que buscam ter um coração puro:
Eles poderão ver a Deus. Ver, não no sentindo de ter uma visão aqui nessa vida, mas de estar junto com Ele na vida futura, estar eternamente com Ele quando o Dia do Juízo vier. Que venhamos aprender a orar como o Salmista: “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me e conhece as minhas inquietações. Vê se em minha conduta algo te ofende e dirige-me pelo caminho eterno.” Salmos 139:23-24

Compartilhe este conteúdo em suas redes sócias:
Imagem padrão
Sérgio Luiz

Apaixonado por teologia e pela bíblia. Pós-graduado em Estudos Bíblicos do Novo Testamento pela universidade Unicesumar. Coordenador e professor da rede de ensino de sua igreja local.

Artigos: 126