Aliança Mosaica

No dia em que se completaram três meses que os israelitas haviam saído do Egito, chegaram ao deserto do Sinai. Depois de saírem de Refidim, entraram no deserto do Sinai, e Israel acampou ali, diante do monte. Logo Moisés subiu o monte para encontrar-se com Deus. E o Senhor o chamou do monte, dizendo: “Diga o seguinte aos descendentes de Jacó e declare aos israelitas: Vocês viram o que fiz ao Egito e como os transportei sobre asas de águias e os trouxe para junto de mim. Agora, se me obedecerem fielmente e guardarem a minha aliança, vocês serão o meu tesouro pessoal entre todas as nações. Embora toda a terra seja minha, vocês serão para mim um reino de sacerdotes e uma nação santa. Essas são as palavras que você dirá aos israelitas”.
Êxodo 19:1-6

A quinta aliança que iremos estudar é a aliança Mosaica, essa aliança é a que mais difere das demais, primeiro porque não foi confirmada diante de um único momento, mas em diversos momentos e ocasiões. Segundo, que não é citado o nome aliança em si, mas o seu aspecto mostra que foi uma aliança de Deus com Moisés e com aqueles que saíram do cativeiro egípcio. Essa aliança é mostrada de forma oculta através dos dez mandamentos e das diversas leis que Deus trouxe para o povo israelita.

Ela é uma aliança condicional feita entre Deus e a nação de Israel no Monte Sinai. Às vezes é chamada de aliança do Sinai, mas mais frequentemente refere-se a ela como a aliança mosaica, uma vez que Moisés era o líder de Israel escolhido por Deus para aquele tempo. A condição dessa aliança está atrelada a obediência dos israelitas a toda a Lei que Deus deixou para o povo.

Ao entender as diferentes alianças na Bíblia e suas relações entre si, é importante entender que a aliança mosaica difere significativamente da aliança Abraâmica e das alianças posteriores por ser condicional. Se Israel for obediente, Deus os abençoará, mas se desobedecerem, Deus os punirá. As bênçãos e maldições associadas a esta aliança condicional são encontradas em detalhes no livro de Deuteronômio no capítulo 28. Lá vemos claramente essa condição do povo de Israel.

A aliança mosaica é especialmente significativa porque nela Deus prometeu fazer de Israel um “reino de sacerdotes e nação santa” conforme lemos no verso 6 acima. A lei mosaica revelaria às pessoas a sua pecaminosidade e a necessidade de um Salvador, e é essa lei que o próprio Cristo disse que não veio abolir, mas cumprir.

A aliança mosaica também é conhecida como a antiga aliança pelo autor de Hebreus e foi substituída pela nova aliança em Cristo. Nos próximos dias iremos estudar a nova aliança e poderemos entender mais de como essa aliança era apenas a sombra daquela que viria.

Que a aliança mosaica sirva para nos lembrar não da legalidade e da religião, mas daquilo que devemos fazer para agradar ao coração de Deus.

Compartilhe este conteúdo em suas redes sócias:
Imagem padrão
Sérgio Luiz

Apaixonado por teologia e pela bíblia. Pós-graduado em Estudos Bíblicos do Novo Testamento pela universidade Unicesumar. Coordenador e professor da rede de ensino de sua igreja local.

Artigos: 126