A Igreja de Laodicéia

Ao anjo da igreja em Laodiceia, escreva: Estas são as palavras do Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o soberano da criação de Deus. “Conheço as suas obras, sei que você não é frio nem quente. Melhor seria que você fosse frio ou quente! Assim, porque você é morno, não é frio nem quente, estou a ponto de vomitá-lo da minha boca. Você diz: Estou rico, adquiri riquezas e não preciso de nada. Não reconhece, porém, que é miserável, digno de compaixão, pobre, cego, e que está nu. Dou este conselho: Compre de mim ouro refinado no fogo, e você se tornará rico; compre roupas brancas e vista-se para cobrir a sua vergonhosa nudez; e compre colírio para ungir os seus olhos e poder enxergar. Repreendo e disciplino aqueles que eu amo. Por isso, seja diligente e arrependa-se. Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei e cearei com ele, e ele comigo. Ao vencedor darei o direito de sentar-se comigo em meu trono, assim como eu também venci e sentei-me com meu Pai em seu trono. Aquele que tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas.
Apocalipse 3:14-22

A igreja de Laodicéia era a pior igreja aos olhos de Deus, era uma igreja rica, que tinha tudo, mas era uma igreja morna, que não era relevante e nem fazia nenhuma diferença para a cidade. Foi uma igreja que não existia elogios para ela, somente correções e um chamado ao arrependimento.

Contexto histórico da época

A cidade de Laodicéia foi fundada em 250 a.C., por Antíoco da Síria. Era importante pela sua localização. Ficava no meio das grandes rotas comerciais. Era uma cidade rica, cheia de banqueiros e de transações comerciais. Havia também teatros, um estádio e um ginásio equipado.

Era uma das cidades mais ricas da época. Em 61 d.C., foi devastada por um terremoto e reconstruída sem aceitar ajuda do imperador.  Havia também um centro de indústria de tecidos que produzia uma lã especial e famosa no mundo inteiro. Era um centro médico importante onde existia uma escola de medicina famosa naquela época. Fabricava-se ali dois unguentos quase milagrosos para os ouvidos e os olhos. Produziam um colírio que era exportado para todos os centros populacionais do mundo. E por fim, era um centro das águas térmicas. A região era formada por três cidades: Colossos, Hierápolis e Laodicéia. Em Colossos, ficavam as fontes de águas frias, e, em Hierápolis, havia fonte de água quente que, em seu curso sobre o planalto, tornava-se morna e, nessa condição, fluía dos rochedos que faziam fronteira com a cidade de Laodicéia. Tantas as águas quentes de Hierápolis, como as águas frias de Colossos eram terapêuticas, mas as águas mornas de Laodicéia eram intragáveis.

Jesus apresenta-se a igreja

“Ao anjo da igreja em Laodiceia, escreva: Estas são as palavras do Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o soberano da criação de Deus.” Apocalipse 3:14

Quando Jesus apresenta-se como O Amém, está dizendo que somente Ele é o Deus da Verdade, que nEle não há mentiras, e por isso, não há como mentir para Ele.

Já o Soberano da criação de Deus refere-se que Cristo é o primeiro no tempo e o princípio de tudo.

Jesus repreende a sua igreja pela mornidão

“Conheço as suas obras, sei que você não é frio nem quente. Melhor seria que você fosse frio ou quente! Assim, porque você é morno, não é frio nem quente, estou a ponto de vomitá-lo da minha boca. Você diz: Estou rico, adquiri riquezas e não preciso de nada. Não reconhece, porém, que é miserável, digno de compaixão, pobre, cego, e que está nu.” Apocalipse 3:15-17

O problema da igreja não era teológico nem moral. Não havia falsos mestres, nem heresias. Não havia pecado de imoralidade e nem engano. Na carta, não há menção de hereges, de malfeitores nem de perseguidores. O que faltava à igreja era fervor espiritual. A vida espiritual da igreja era morna, indefinível, apática, indiferente e nauseante. A igreja era acomodada. O problema da igreja não era heresia, mas apatia. Assim, como a água morna da cidade era intragável, Jesus está dizendo que as atitudes da igreja também o são.

Os membros da igreja tornaram-se convencidos e vaidosos. Eles achavam que estavam indo maravilhosamente bem em sua vida religiosa. Mas Cristo teve de acusá-los de cegos, miseráveis e nus. Era miseráveis apesar da riqueza dos seus bancos, cegos apesar de seus colírios milagrosos e nus apesar de suas fábricas de tecidos. São miseráveis porque não têm como comprar o perdão de seus pecados. São nus porque não têm roupas adequadas para se apresentarem diante de Deus. São cegos porque não conseguem enxergar sua pobreza espiritual.

Jesus aconselha a sua igreja a arrepender-se

“Dou este conselho: Compre de mim ouro refinado no fogo, e você se tornará rico; compre roupas brancas e vista-se para cobrir a sua vergonhosa nudez; e compre colírio para ungir os seus olhos e poder enxergar. Repreendo e disciplino aqueles que eu amo. Por isso, seja diligente e arrependa-se.” Apocalipse 3:18-19

O ouro que Cristo tem é o Reino do Céu. A roupa que Cristo oferece são as vestes da justiça e da santidade. O colírio que Cristo tem abre os olhos para o discernimento. Cristo está repreendendo os crentes a não confiarem em seus bancos, em suas fábricas e em sua medicina. Ele os exorta a confiar somente nEle. Só Cristo pode enriquecer nossa pobreza, vestir nossa nudez e curar nossa cegueira.

A promessa de Jesus ao vencedor

“Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei e cearei com ele, e ele comigo. Ao vencedor darei o direito de sentar-se comigo em meu trono, assim como eu também venci e sentei-me com meu Pai em seu trono. Aquele que tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas.” Apocalipse 3:20-22

Jesus é o Senhor da igreja, mas em Laodicéia, Ele estava de fora da igreja querendo entrar. Mesmo assim, Cristo disse para os vencedores, que eles teriam a oportunidade de Reinar com Ele quando viesse buscar sua noiva.

Coincidência ou não, Esmirna e Filadélfia, as duas cidades com igrejas boas, continuam sendo cidades prósperas hoje (cidades nas atual Turquia). Já Sardes e Laodicéia, as duas cidades com igrejas más, hoje são lugares desertos e sem habitação.

Conclusão

Através da igreja de Laodicéia, vemos que Deus não está preocupado com o materialismo que a igreja tem. A igreja era rica, se vestiam bem, cuidavam bem dos que precisavam de medicamentos, mas tudo isso era nada aos olhos de Deus. A igreja não tinha amor, fazia por religiosidade, era uma igreja morna, que não exercia influência na sociedade. Jesus disse que prefere que a igreja fosse fria, do que ser morna. O cristão frio, todo mundo sabe que é frio, que não é um verdadeiro cristão, as atitudes de um crente frio mostra que ele na verdade nem converteu e nem poderia ser chamado de cristão. Mas, as atitudes de um crente morno passam despercebido, ele faz obras, ajuda as pessoas financeiramente, ajuda as pessoas doentes, mas tudo de forma egoísta, sem amor e sem temor à Deus. Esse tipo de cristão é o que consegue enganar muitas pessoas, são os crentes nominais, que vão aos cultos todos os domingos, mas não vivem o culto de segunda a sábado. Jesus nos chamou para sermos diferente, para sermos santos, para testemunharmos do Evangelho, para sermos sal e luz desse mundo, para sermos seu seguidor e imitador, para sermos cheio do Espírito Santo e principalmente para fazer tudo por amor a Ele.

Compartilhe este conteúdo em suas redes sócias:
Imagem padrão
Sérgio Luiz

Apaixonado por teologia e pela bíblia. Pós-graduado em Estudos Bíblicos do Novo Testamento pela universidade Unicesumar. Coordenador e professor da rede de ensino de sua igreja local.

Artigos: 126