O que significa blasfemar contra o Espírito Santo?

Então Jesus entrou numa casa, e novamente reuniu-se ali uma multidão, de modo que ele e os seus discípulos não conseguiam nem comer. Quando seus familiares ouviram falar disso, saíram para trazê-lo à força, pois diziam: “Ele está fora de si”. E os mestres da lei que haviam descido de Jerusalém diziam: “Ele está com Belzebu! Pelo príncipe dos demônios é que ele expulsa demônios”. Então Jesus os chamou e lhes falou por parábolas: “Como pode Satanás expulsar Satanás? Se um reino estiver dividido contra si mesmo, não poderá subsistir. Se uma casa estiver dividida contra si mesma, também não poderá subsistir. E, se Satanás se opuser a si mesmo e estiver dividido, não poderá subsistir; chegou o seu fim. De fato, ninguém pode entrar na casa do homem forte e levar dali os seus bens, sem que antes o amarre. Só então poderá roubar a casa dele. Eu asseguro que todos os pecados e blasfêmias dos homens lhes serão perdoados, mas quem blasfemar contra o Espírito Santo nunca terá perdão: é culpado de pecado eterno”. Jesus falou isso porque eles estavam dizendo: “Ele está com um espírito imundo”.
Marcos 3:20-30

Muitos têm dúvidas sobre o que seria blasfemar contra o Espírito Santo, esse pecado que a Bíblia diz que é imperdoável. Alguns têm até medo de já ter blasfemado contra o Espírito e por causa disso não receberem a salvação. O fato é que se você já tem medo de ter blasfemado, é bem provavelmente que não blasfemou, pois quem tiver chegado nesse nível, dificilmente se arrependerá e perguntará a si mesmo se já cometeu esse pecado. Quero te ajudar a entender o que seria esse pecado sem perdão, mas antes disso, quero dizer o que não é blasfêmia contra o Espírito Santo:

1° não é negar o nome de Cristo:
Se negar o nome de Cristo fosse uma blasfêmia contra o Espírito Santo, o apóstolo Pedro não seria perdoado e muito menos Jesus teria achegado a ele para restaurá-lo. Pelo fato de Jesus ter ajudado na sua restauração, vemos que negar o seu nome não é uma blasfêmia.

2° não é duvidar da sua existência:
Se assim fosse, os ateus não poderiam ser salvos e nem muitos de nós. Antes da conversão, quantas vezes tivemos pensamentos se a nossa fé e o nosso Deus era real? Além disso, quantos relatos temos de ateus que se converteram a fé cristã e levaram outros a experimentarem do Evangelho.

3° não é negar que Jesus é o Messias:
Se assim fosse, os judeus não poderiam ser salvos. A maior parte dos judeus e religiosos crucificaram Jesus por não acreditar que Ele era o Messias, e muitos após a sua ressurreição creram nEle e receberam a salvação. Hoje, muitos judeus ainda continuam sendo salvos ao crerem em Cristo.

4° não é murmurar contra Deus:
Na Bíblia existem muitos casos de murmuração, se ela fosse um pecado imperdoável, muitos não seriam salvos. Incluindo o povo de Israel, Jó e vários outros. Murmuração é um pecado, mas não impede de sermos salvos ao nos arrependermos.

5° não é desobedecer há uma ordem direta de Deus:
Se assim fosse, Jonas não poderia ser salvo. Ele desobedeceu a uma ordem direta de Deus, foi engolido pelo peixe e teve a oportunidade de arrepender-se e fazer aquilo que era correto. Se desobediência fosse algo imperdoável, muitos não seriam salvos, incluindo, Jonas, Paulo, Pedro, Davi e tantos homens na Bíblia.

O que significa blasfemar contra o Espírito Santo
Já vimos o que não é uma blasfêmia contra o Espírito Santo, mas o que exatamente seria. Voltando ao texto bíblico, vemos que os religiosos acusam Jesus de estar possuído por Belzebu, segundo a mitologia, um deus cananeu e filisteu, ou seja, uma entidade demoníaca. Jesus responde que Satanás não pode ser opor a ele mesmo, pois um reino assim não poderá se fortalecer e será destruído. Jesus vai concluir que todos os pecados e blasfêmias serão perdoados, exceto a blasfêmia contra o Espírito. O evangelista Marcos vai terminar o texto dizendo que Jesus disse isso, justamente por conta da afirmação dEles, que Jesus estava endemoninhado e que suas obras na verdade não eram obras do Espírito, mas de Satanás. Ao dizer que as obras que Cristo faziam não eram obras do Espírito de Deus, mas que eram obras de Satanás, eles estavam blasfemando contra o Espírito Santo, pois estavam desacreditando daquilo que somente o Espírito Santo pode realizar. Esse é um dos pecados imperdoáveis na Bíblia, anular aquilo que o Espírito Santo faz.

Conclusão:
Vemos que a blasfêmia contra o Espírito Santo é dizer que a obra dele é realizada por Satanás, anulando assim a sua obra. É você ver obras que somente o Espírito de Deus pode realizar, como as que Cristo fazia e mesmo assim dizer que aquilo é fruto demoníaco. Talvez você pense, mas assim é fácil julgarmos a pessoa de forma errada, condená-la e assim blasfemar. Não é fácil, porque Jesus nos ensinou como julgarmos todas as coisas, pelos seus frutos. Ele mesmo disse que somos ramos enxertados nEle, que é a videira verdadeira, e se estamos nEle, precisamos dar frutos. A árvore que não dá fruto, não pode ser verdadeira. Se a pessoa não possui frutos, as obras que ela faz não poderá ser do Espírito. Aqueles religiosos estavam blasfemando contra o Espírito, pelo fato deles verem os frutos de Jesus e mesmo assim falar mal da sua obra. Os frutos do Espírito será como prova para nós se a obra é do Espírito Santo ou não. Dessa forma, blasfemar contra o Espírito Santo é algo que um cristão verdadeiro, cheio dos frutos nunca irá cometer.

Compartilhe este conteúdo em suas redes sócias:
Imagem padrão
Sérgio Luiz
Apaixonado por teologia e pela bíblia. Pós-graduado em Estudos Bíblicos do Novo Testamento pela universidade Unicesumar. Coordenador e professor da rede de ensino de sua igreja local.
Artigos: 30