O que é um evangelista?

Evangelista é o nome dado a cada um dos quatro autores dos evangelhos bíblicos que escreveram sobre a vida e a doutrina de Jesus Cristo, são eles: Mateus, Marcos, Lucas e João.

Mas, ministerialmente falando, existem evangelistas e o que seriam eles? Sim, são aqueles que tem o dom de pregar o evangelho, trazendo pessoas para Jesus. Deus distribuiu vários dons entre as pessoas, para a edificação da igreja. Um desses dons é o dom de evangelista, conforme diz o apóstolo Paulo em Efésios 4:11:12: “E ele designou alguns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas, e outros para pastores e mestres, com o fim de preparar os santos para a obra do ministério, para que o corpo de Cristo seja edificado.”

Sendo assim, a função principal do evangelista é apresentar as pessoas a Jesus, mostrando o caminho da salvação. Através de conversas ou pregações, o evangelista explica sobre o pecado, a necessidade de salvação e como Jesus veio para nos salvar. O evangelista ajuda as pessoas a tomarem um passo de fé e entregarem suas vidas a Jesus.

Como saber se sou um evangelista?

1° – O coração de um evangelista está voltado aos perdidos. Ao olhar para alguém perdido, ele não consegue ficar parado, ele precisa chegar próximo dessa pessoa e conversar com ela. O seu coração arde por pregar o evangelho as pessoas que não conhecem Jesus como Seu Salvador.

2° – Existe uma habilidade para falar sobre a salvação que há em Cristo Jesus. Essa habilidade não é algo que vai vir de uma forma sobrenatural, às vezes vem com o tempo, com aprendizado, mas existe uma facilidade muito grande para falar sobre a salvação. As vezes um evangelista pode até não compreender todos os fatos bíblicos, mas terá uma facilidade para testemunhar daquilo que Jesus fez em sua vida.

3° – Há uma manifestação constante dos dons de curar, dom da fé ou de operação de milagres. O que muitos não entendem, é que em toda a história da igreja, os grandes evangelistas, sempre tiveram muitas manifestações de milagres em sua volta. Inclusive os apóstolos de Jesus, quando iniciaram o ministérios de evangelismo, vemos muitos milagres ocorrendo ao redor deles. Isto é muito importante para que os incrédulos vejam os milagres e tenham fé.

4° – Se você tem um forte chamado aos perdidos, mas não vê essas manifestações, seu dom pode ser de exortar, conforme o apóstolo Paulo diz em Romanos 12:6-8: “De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada: se é profecia, seja ela segundo a medida da fé; se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino; ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com cuidado; o que exercita misericórdia, com alegria.”
O termo original traduzido para exortar, é o palavra “parakaleo” que significa chamar, convidar, consolidar, consolar, fortalecer. Talvez você tenha um chamado para ser um exortador, mas não um evangelista.

5° – Alguns não são nem pastores e nem evangelistas, mas pregadores, conforme diz o apóstolo Paulo em 1 Timóteo 2:7: “Para isso fui designado pregador e apóstolo (Digo a verdade, não minto.), mestre da verdadeira fé aos gentios.”
Esses pregadores que o apóstolo diz são pessoas com habilidade incrível para anunciar o Evangelho e não necessariamente evangelista.

6° – Existe os pregadores que não são evangelista, mas todo evangelista precisa ser um pregador. O evangelista precisa saber pregar e expor a Palavra de Deus com maestria, pois é através da sua pregação e do poder de Deus demonstrado através dela que muitas pessoas irão converter ao evangelho.

7° – O evangelista é comprometido com sua igreja local. Muitos pensam que por ser evangelista ou por ter um ministério itinerante não precisam comprometer com uma igreja local, mas esses que estão a frente de uma batalha são as pessoas que mais precisam de envolver-se em uma igreja local, seja para ser orientado, ser discipulado ou até mesmo disciplinado, todos nós precisamos ter uma membresia fixa em uma igreja.

8° – Por fim, o evangelista é repleto do Espírito Santo e de sabedoria. Se não formos orientado pelo Espírito Santo nada poderemos fazer. Se somos evangelista é para pregar sobre aquilo que Cristo fez, e quem faz o trabalho de convencimento é o Espírito Santo e não nós mesmos, sem o espírito de Deus, não há conversões, nem curas, nem milagres e nem muito menos salvação.

Compartilhe este conteúdo em suas redes sócias:
Imagem padrão
Sérgio Luiz

Apaixonado por teologia e pela bíblia. Pós-graduado em Estudos Bíblicos do Novo Testamento pela universidade Unicesumar. Coordenador e professor da rede de ensino de sua igreja local.

Artigos: 126