O maior evangelista da história

A palavra do Senhor veio a Jonas, filho de Amitai, com esta ordem: “Vá depressa à grande cidade de Nínive e pregue contra ela, porque a sua maldade subiu até a minha presença”. Mas Jonas fugiu da presença do Senhor, dirigindo-se para Társis. Desceu à cidade de Jope, onde encontrou um navio que se destinava àquele porto. Depois de pagar a passagem, embarcou para Társis, para fugir do Senhor.
Jonas 1:1-3

Ao fazer a pergunta: Qual o maior evangelista da história? Vem a nossa mente vários nomes, como Paulo, Pedro, João, ou até mesmo algum nome da modernidade como Billy Graham e Charles Haddon Spurgeon, mas na Bíblia conhecemos um grande evangelista, talvez o maior da história devido ao “resultado” da sua pregação. Seu nome é Jonas, talvez muitas vezes negligenciado pelo fato dele ter tentado fugir da presença de Deus ao ser anunciado para pregar para Nínive.

Mas, vamos no situar na situação de Jonas e entender o motivo dele ter fugido. A cidade de Nínive era a capital da Assíria, o império que destruiu o reino do Norte, chamado também de Israel. Para entendermos um pouco mais, precisamos voltar na história bíblica. O primeiro rei de Israel, foi Saul, ele desobedeceu à Deus e Davi assumiu o trono em seu lugar. Com Davi, Israel venceu muitas batalhas e expandiu o seu reino. Após a morte de Davi, seu filho Salomão assumi o seu lugar, expandindo ainda mais o reino e realizando alianças com várias nações. Salomão morre e a partir da sua morte que começam os problemas com Israel. Roboão, filho de Salomão, assumi o trono e foi pedido a ele para reduzir os impostos da nação, ele não escuta o povo, o que ocasiona na divisão do reino de Israel. Roboão fica com as tribos de Judá e Benjamim, conhecidas como Reino do Sul, e Jeroboão assumi as outras 10 tribos, conhecidas como Reino do Norte. Jeroboão leva o povo a criar altares pagãos, e devido a falta de arrependimento do povo, em 722 a.C. a Assíria, essa mesma que Deus mandou Jonas pregar, invade a terra, destrói todo o reino e milhares de israelitas são espalhados pelo mundo afora.

Agora que já entendemos o contexto que Jonas foi escrito, imaginamos o motivo dele não querer ir pregar a Nínive. Ele não queria ir à nação na qual foi responsável pelo seu povo ter sido destruído e espalhado. Ao analisar o texto, conseguimos entender melhor ainda o motivo dele não aceitar ir pregar para aquele povo. Quando Deus o chama para levar a mensagem, Ele disse que seria uma Palavra de juízo e não de misericórdia. Jonas conhecia a Deus e sabia que era misericordioso conforme ele mesmo expressou no capítulo 4: “Ele orou ao Senhor: Senhor, não foi isso que eu disse quando ainda estava em casa? Foi por isso que me apressei em fugir para Társis. Eu sabia que tu és Deus misericordioso e compassivo, muito paciente, cheio de amor e que prometes castigar, mas depois te arrependes. Agora, Senhor, tira a minha vida, eu imploro, porque para mim é melhor morrer do que viver.”  Jonas 4:2-3
O motivo maior de Jonas não querer pregar para Nínive, é pelo fato de saber que ele levaria uma Palavra de juízo e que se o povo arrependesse, Deus iria ser misericordioso e salvar aquela nação. Jonas não queria que eles fossem salvos, ele queria a condenação deles, por isso, Jonas fugiu, e não quis pregar àquele povo.

Talvez você pense, mas onde está o maior evangelista nessa história toda? Se continuarmos lendo todo o livro, vemos que Jonas é engolido pelo peixe, e dentro da barriga daquele animal ele ora a Deus em sinal de arrependimento. O peixe cospe Jonas na beirada da praia, que recebe mais uma vez o chamado para ir a Nínive. Dessa vez, ao invés de fugir, vai pregar a cidade. Quando o rei daquela cidade ouve a palavra de juízo, levanta um decreto para que todos clamem a Deus e abandonem os seus pecados. Aconteceu o que Jonas previa, Deus perdoa os pecados daquela nação e não traz mais o juízo sobre ela. E ao final do livro, vemos que existia naquela nação mais de cento e vinte mil pessoas.

Talvez você pense, ainda não entendi o fato de Jonas ter sido o maior evangelista. Jonas pregou e cento e vinte mil pessoas mudaram suas vidas e evitaram o juízo de Deus. Alguns podem até pensar dessa forma: “Ah, mas, Jonas nem queria pregar para eles e queria que eles fossem condenados”. Todos nós temos um pouco de Jonas, quantas vezes Deus nos mandou fazer algo e não realizamos. Quantas vezes Deus nos mandou fazer algo imediatamente e fomos realizar horas, dias, meses e até anos depois. Não há muita diferença de Jonas para nós hoje. Se formos exemplificar, era como se hoje Deus chamasse você para pregar para os jihadistas, aqueles mais radicais da religião islâmica, aqueles que matam cristãos. Muitos de nós, não iriamos querer pregar para eles, pois são o povo que odeiam a igreja e os crentes. Essa foi a reação de Jonas, ele fugiu por medo deles, por medo de serem salvos, mas pregou, e as pessoas escutaram e mudaram de vida. Jonas foi um dos maiores evangelistas da história, pelo fato de pregar a Palavra de forma tão clara e objetiva que todos escutaram e decidiram mudar suas vidas. Ele não queria pregar, mas quando pregou trouxe uma mensagem tão poderosa que mudou a vida daquela nação.

Compartilhe este conteúdo em suas redes sócias:
Imagem padrão
Sérgio Luiz
Apaixonado por teologia e pela bíblia. Pós-graduado em Estudos Bíblicos do Novo Testamento pela universidade Unicesumar. Coordenador e professor da rede de ensino de sua igreja local.
Artigos: 30