O fruto do Espírito

Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei. Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus desejos. Se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito.
Gálatas 5:22-25

O sétimo fruto do Espírito citado pelo apóstolo Paulo é a fidelidade. Fidelidade é o termo com origem no latim fidelis, que significa uma atitude de quem é fiel, de quem tem compromisso com aquilo que assume. É uma característica daquele que é leal, que é confiável, honesto e verdadeiro.

A fidelidade não engloba somente nos relacionamentos, mas na fidelidade religiosa, nossa fidelidade aos princípios cristão, fidelidade ao entregar uma mensagem para alguém, fidelidade ao escrever um texto. A fidelidade hoje engloba todos os aspectos da vida humana e todos querem receber algo que seja fiel ou ter uma amizade ou relacionamento que seja fiel a ele(a). Mas, vivemos em uma sociedade que uma grande parte de pessoas não seguem esse fruto do Espírito. Talvez esse fruto seja o mais negligenciada até mesmo entre os cristãos. Afinal, quem é que não assiste ou baixa filmes piratas? Quem é que não escuta ou baixa músicas piratas? Essas atitudes demonstram infidelidade, desonestidade e falsidade, todos os conceitos que são antônimos ao significado de fidelidade.

Em nosso contexto de sociedade moderna ou pós-moderna como alguns dizem, somos a geração mais infiel de todos os tempos em nossos relacionamentos amorosos e conjugal. Inclusive a infidelidade nesse tipo de relacionamento é chamado de adultério que tem uns dos significados muito forte que é o ato de modificar a forma ou a fórmula original de algo, de falsificar o original, de corromper alguma coisa. Ou seja, quando estamos sendo infiéis ou adúlteros, estamos falsificando aquilo que foi criado para ser original, estamos corrompendo a ordens das coisas. Como isto é gravíssimo! Serve tanto para os nosso relacionamentos, como para os casos de pirataria que falamos logo acima e tantos outros que poderíamos citar aqui.

Precisamos entender que não apenas a fidelidade é um fruto do Espírito, mas deve ser uma das marcas do Cristianismo. Não pode existir cristianismo sem fidelidade, principalmente a fidelidade as Escrituras e seus princípios. Existem algumas lições que podemos aprender com a Bíblia sobre a fidelidade:

1° – Através da Palavra de Deus aprendemos que mesmo diante da nossa infidelidade, Deus nunca é infiel, muito pelo contrário, Ele sempre permanece fiel: “Se somos infiéis, ele permanece fiel, pois não pode negar-se a si mesmo.” 2 Timóteo 2:13

2° – A fidelidade de Deus não é apenas imutável, mas serve para nos livrar das tentações e nos perdoar de nossos pecados: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça.” 1 João 1:9

“Não sobreveio a vocês tentação que não fosse comum aos homens. E Deus é fiel; ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar. Mas, quando forem tentados, ele mesmo providenciará um escape, para que o possam suportar.” 1 Coríntios 10:13

3° – Pela fidelidade de Deus é que alcançamos a sua misericórdia e não somos consumidos dia após dia: “Graças ao grande amor do Senhor é que não somos consumidos, pois as suas misericórdias são inesgotáveis. Renovam-se cada manhã; grande é a sua fidelidade!” Lamentações 3:22-23

4° – Se fomos alcançados pela fidelidade de Deus, nosso dever é compartilhar da sua fidelidade: “Cantarei para sempre o amor do Senhor; com minha boca anunciarei a tua fidelidade por todas as gerações.” Salmos 89:1

Somente honraremos a Deus e seremos fiel em tudo, no dia que conhecermos verdadeiramente o Deus que é sempre fiel. Quando conhecermos como Jó conheceu, não apenas de ouvir falar, mas de um relacionamento íntimo e verdadeiro. Quando estivermos cheio da sua fidelidade, poderemos transbordar para outras pessoas e sermos fiéis em tudo, não apenas em nossos relacionamentos, mas em nossas alianças, em nossos trabalhos ou empresas, nas faculdades e escolas, nas igrejas e nos dízimos e ofertas, na vida social e cultural e em todas as esferas da nossa sociedade.

Compartilhe este conteúdo em suas redes sócias:
Imagem padrão
Sérgio Luiz

Apaixonado por teologia e pela bíblia. Pós-graduado em Estudos Bíblicos do Novo Testamento pela universidade Unicesumar. Coordenador e professor da rede de ensino de sua igreja local.

Artigos: 126