Não somos invisíveis aos olhos de Deus

Então perguntou a Jessé: Estes são todos os filhos que você tem? Jessé respondeu: Ainda tenho o caçula, mas ele está cuidando das ovelhas. Samuel disse: Traga-o aqui; não nos sentaremos para comer enquanto ele não chegar. Jessé mandou chamá-lo, e ele veio. Ele era ruivo, de belos olhos e boa aparência. Então o Senhor disse a Samuel: É este! Levante-se e unja-o. Samuel apanhou o chifre cheio de óleo e o ungiu na presença de seus irmãos, e, a partir daquele dia, o Espírito do Senhor apoderou-se de Davi. E Samuel voltou para Ramá.
1 Samuel 16:11-13

Quando Samuel unge Davi a futuro rei de Israel, ele não sabia quem seria ungido, somente sabia que deveria ir a casa de Jessé, que um filho seu seria o ungido. Ao chegar à casa de Jessé, todos os filhos, exceto Davi, são levados à Samuel e rejeitados por Deus. Samuel questiona Jessé se não havia mais nenhum outro filho. Eis, que aquele filho esquecido, é lembrado por seu pai, o caçula, o mais jovem que estava pastoreando as ovelhas. Imediatamente o profeta manda chamá-lo. Davi ao chegar à presença de Samuel, imediatamente é ungido pelo profeta por ordem divina. Davi seria o futuro rei de Israel, e mesmo diante dos seus erros, ele seria o maior e melhor rei que Israel teria em toda a sua história. Diante desse pequeno texto, conseguimos extrair diversas práticas da personalidade de Davi que servem de exemplo para a nossa caminha cristã e para a nossa vida.

1 – Davi era pastor de ovelhas, a profissão mais desvalorizada da época, aquela que ninguém queria realizar.

2 – Davi, como pastor de ovelhas, estava acostumado a ficar invisível diante dos olhos do seu pai e dos seus irmãos. Mas, mesmo invisível diante dos olhos humanos, ele nunca foi invisível aos olhos de Deus.

3 – Davi não buscava a honra para si. Enquanto todos os irmãos se apresentavam ao profeta Samuel, Davi estava trabalhando e ajudando a sustentar a sua família.

4 – Davi estava pastoreando as ovelhas, um lugar de solidão, em que a pessoa fica oculta diante das pessoas. Nesses lugares é que a nossa vida é testada e que podemos buscar mais a Deus. Nestas situações é que nosso relacionamento com Deus cresce cada vez mais.

5 – Enquanto Davi pastoreava as ovelhas, ele buscava a Deus constantemente, senão ele jamais seria escolhido por Ele para ser o próximo rei.

6 – Davi era obediente ao seu pai Jessé, se não fosse, ele jamais estaria pastoreando as ovelhas. Sendo que este tipo de serviço e essa ajuda na vida financeira da família, não era comum ser de responsabilidade do filho mais jovem, mas dos mais velhos.

Conclusão

Vemos na vida de Davi um exemplo para nossa caminhada. Ele nunca tentou usurpar o que não era seu. Nem mesmo depois de ungido rei de Israel. Ele esperou a sua hora chegar. Não ficou ansioso e nem desesperou quando a promessa de Deus demorou. Ele foi paciente o tempo todo, soube esperar o tempo de Deus e confiou em suas promessas. Mesmo quando Davi era invisível aos olhos das pessoas, era visível aos olhos de Deus. De Deus não passamos despercebidos, podemos até pensar que ninguém está nos vendo, mas Ele nos vê o tempo todo. A promessa e unção de Davi foi quando era apenas um jovem, quando as promessas foram cumpridas, ele já estava casado e na fase adulta. No tempo de espera, Davi nunca esmoreceu e nem desanimou, mas fazia tudo com excelência, ao ponto de quando o rei Saul morreu, muitas das pessoas que o conhecia queriam fazê-lo rei em seu lugar. Agora ele não era mais um invisível, mas visto e acreditado por um povo. Que possamos seguir o mesmo exemplo desse Rei, que foi humilde, soube esperar em Deus e acreditou que somente Ele podia cumprir as suas promessas. Não há nada e nem ninguém que pode adiantar as promessas de Deus, elas acontecerão no tempo certo.

Compartilhe este conteúdo em suas redes sócias:
Imagem padrão
Sérgio Luiz

Apaixonado por teologia e pela bíblia. Pós-graduado em Estudos Bíblicos do Novo Testamento pela universidade Unicesumar. Coordenador e professor da rede de ensino de sua igreja local.

Artigos: 126