Não há limites em Deus

Enquanto isso, os conselheiros do rei da Síria lhe diziam: “Os deuses deles são deuses das montanhas. É por isso que eles foram fortes demais para nós. Mas, se os combatermos nas planícies, com certeza seremos mais fortes do que eles. Deves tirar todos os reis dos seus comandos e substituí-los por outros comandantes. Também deves organizar um exército como o que perdeste, cavalo por cavalo e carro por carro, para que possamos combater Israel nas planícies. Então é certo que os venceremos”. Ele concordou com eles e fez como foi aconselhado.
1 Reis 20:23-25

Muitos dos inimigos de Israel, pensaram como o rei da Síria, imaginando que o Deus de Israel era somente um deus das montanhas, e por isso, eles sempre venciam a guerra. Mas, se eles fossem travar uma batalha numa planície, Israel perderia a batalha. O resultado foi que todos os reis que pensaram dessa forma perderam a guerra para Israel. Era não somente Deus provando a todos os povos pagãos que existem somente um único Deus que merece ser adorado, como uma amostra para aquele exército inimigo que quem está com Ele pode vencer qualquer batalha. Ele não é um Deus apenas das montanhas, mas de qualquer lugar, na verdade Ele é o Criador de todas as coisas, incluindo todos os montes e planícies.

É por isso, que o Salmista vai dizer que podemos olhar para os montes pedindo socorro, mas o socorro não vem dos montes, e sim, vem do Senhor que fez os montes: “Levanto os meus olhos para os montes e pergunto: De onde me vem o socorro? O meu socorro vem do Senhor, que fez os céus e a terra.” Salmos 121:1-2
O salmista entendeu que o monte por si só não representa nada, mas quando olhamos para o criador dessas belas montanhas, aí sim teremos motivos para crer, ter fé e esperança.

No contexto do texto acima, vemos que o rei Sírio queria motivar o seu exército a perseverar e atacar novamente Israel, utilizando até mesmo de subterfúgios e mentiras. Mas, como dizemos, o resultado foi derrota e ter que fugir do meio da batalha para não ser morto.

Assim também somos nós, quando dizemos ou limitamos o nosso Deus, que é Criador de todas as coisas, àquilo que é criatura. Por exemplo, quando falamos que o nosso Deus é Deus desta ou daquela igreja, ou desta ou daquela denominação, isto é limitar Deus a somente um grupo de pessoas. Tem inclusive denominações que pregam que somente eles serão salvos e que o restante estão condenados ao inferno. Essas pessoas caem no mesmo erro do rei sírio, tentam limitar a Deus que é ilimitado e eterno. Quando dizemos que Deus é somente Deus de Israel, também estamos limitando a somente um povo. Hoje, temos muitas igrejas que colocam Israel como o relógio do mundo. Até concordo com eles em algumas partes, mas temos que entender, que quando Cristo veio e morreu, Ele não morreu apenas para os judeus, mas por todos os gentios, ou seja, aqueles que não são judeus. Limitar Deus à um povo ou alguma coisa apenas, é limitar o Criador de todas as coisas. Não existe uma linha pontilhada de onde Deus não pode ultrapassar, Ele pode fazer todas as coisas que estão em sua Natureza e Essência. Mas, você pode dizer: Ah, Deus não pode mentir! Na verdade, Deus pode todas as coisas, Ele não mente, porque a mentira não é da sua natureza. Assim também que Ele é sempre fiel, pois fidelidade faz parte da sua natureza. Pode ser difícil de entender, devido ao fato de sermos completamente limitados comparado a grandeza de Deus, mas temos que entender que para Deus não há limites, Ele pode fazer todas as coisas.

Compartilhe este conteúdo em suas redes sócias:
Imagem padrão
Sérgio Luiz

Apaixonado por teologia e pela bíblia. Pós-graduado em Estudos Bíblicos do Novo Testamento pela universidade Unicesumar. Coordenador e professor da rede de ensino de sua igreja local.

Artigos: 126