Bem-aventurados os pobres em espírito

Vendo as multidões, Jesus subiu ao monte e se assentou. Seus discípulos aproximaram-se dele, e ele começou a ensiná-los, dizendo: “Bem-aventurados os pobres em espírito, pois deles é o Reino dos céus.
Mateus 5:1-3

Esse texto abre o que muitos teólogos chamam de maior sermão da história, o sermão do monte, ou sermão da montanha. É o maior sermão que Jesus contou e que foi registrado em toda a bíblia. Nele são ensinados princípios éticos e morais para os seus seguidores. Mostra como deve ser a vida do cristão verdadeiro.

Nesse sermão, Jesus vai dizer oito vezes o termo bem-aventurados. Esse termo vem da palavra grega makarios e refere-se há uma felicidade que excede às circunstâncias. Algumas versões da bíblia traduzem o texto como “felizes os pobres em espírito”, mas, bem-aventurados tem um significado mais forte, não é apenas uma felicidade comum quando tiramos dez na prova ou quando nosso time ganha. É uma felicidade que excede às circunstância, que somente pode vir de Deus.

Para iniciarmos nosso estudo sobre a primeira bem-aventurança, quero primeiramente dizer o que não significa ser pobre de espírito:

1 – Não significa pobreza financeira – Se assim fosse, os pobres não poderiam ser salvos. Ser bem-aventurado não tem nada a ver com as posses que temos, mas com o nosso coração. Vemos diversas passagens na bíblia que fala sobre ajudar os pobres e que eles muitas vezes têm muito mais liberalidade em dar do que os que tem muitas posses.

2 – Não significa pobreza espiritual – Jesus não está dizendo daqueles que não levam a sério a vida espiritual, muito pelo contrário, Ele leva muito a sério o modo como vivemos espiritualmente, seguindo a Sua Palavra.

3 – Não significa pobreza de autoestima – Muitos pensam que se subestimar é uma virtude, na verdade o cristão não deve nem superestimar e nem subestimar, mas saber quem Ele é em Deus e mostrar as virtudes que ele tem, nem mais e nem menos. Jesus também não está falando dessas pessoas.

Então, o que significa os pobres de espírito:

– É a base para outras virtudes, a primeira bem-aventurança é o primeiro degrau da escada.
– É reconhecer nossas próprias falhas e a nossa dependência total de Deus.
– É a nossa verdadeira riqueza.

No original grego, existem duas palavras que são traduzidas para pobres, a primeira é a palavra ‘Penês”, que refere-se ao homem que não é rico, mas que também tem que trabalhar para ganhar a vida, é aquele que não possui o supérfluo, somente o básico. A segunda palavra é a “Ptokós”, que descreve uma pessoa em pobreza absoluta e total daquele que está afundado na miséria. É o mendigo, o extremamente necessitado. Foi esse o termo que Jesus utilizou. Quando ele disse bem-aventurados os pobres de espírito, ele quis dizer que felizes são aqueles que reconhecem que estão num estado de absoluta carência e que reconhece que sem a graça de Deus é impossível viver. É reconhecer nossa pobreza perante a grandiosidade e misericórdia de nosso Deus.

Por que devemos ser pobres de espírito:

– Para Cristo ser o nosso bem mais precioso – Enquanto não entendermos que existe um vazio em nós que somente Cristo pode preencher, enquanto não enxergamos a nossa própria miséria perante Ele, jamais poderemos ser salvos.

– Para estarmos prontos para receber a graça de Deus – Se temos pensamentos de autossuficiência, acreditaremos que podemos tudo com a força do nosso braço, quando somos pobres de espírito, entendemos que sem Ele não somos nada e nem ao menos temos vida.

Como sabemos que somos pobres de espírito:

–  Quando toda a base da nossa aceitação por Deus está nos méritos de Cristo – ou seja, não podemos exigir nada, Ele fez tudo e o mérito é todo dEle.

– Quando o nosso coração está desprovido de toda vaidade – Se existe vaidade em nosso coração, jamais aceitaremos admitir que somos pobres e carentes de Deus. Não há nada nesse mundo que pode preencher o nosso coração, somente Ele tem esse poder.

– Quando o nosso coração anseia e clama mais por Deus em oração – Não há nada melhor para identificar uma pessoa que reconhece que sem Deus não é nada, do que aquela que queima por Deus em oração.

Motivos para sermos pobres de espírito:

O maior benefício de sermos pobres de espírito é que receberemos o Reino dos céus. Essa é a maior e melhor recompensa que poderemos ter.

Quero terminar com a versão dessa bem-aventurança na Bíblia A Mensagem e na versão VFL (Versão Fácil de Ler):
“Abençoados são vocês, que nada mais têm para oferecer. Quando vocês saem de cena, há mais de Deus e do seu governo.”
“Felizes são os que reconhecem que precisam de Deus, pois é esse tipo de pessoa que fará parte do reino de Deus.”

Compartilhe este conteúdo em suas redes sócias:
Imagem padrão
Sérgio Luiz

Apaixonado por teologia e pela bíblia. Pós-graduado em Estudos Bíblicos do Novo Testamento pela universidade Unicesumar. Coordenador e professor da rede de ensino de sua igreja local.

Artigos: 126