A Igreja de Esmirna

Ao anjo da igreja em Esmirna, escreva: Estas são as palavras daquele que é o Primeiro e o Último, que morreu e tornou a viver. Conheço as suas aflições e a sua pobreza; mas você é rico! Conheço a blasfêmia dos que se dizem judeus, mas não são, sendo antes sinagoga de Satanás. Não tenha medo do que você está prestes a sofrer. O Diabo lançará alguns de vocês na prisão para prová-los, e vocês sofrerão perseguição durante dez dias. Seja fiel até a morte, e eu lhe darei a coroa da vida. Aquele que tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas. O vencedor de modo algum sofrerá a segunda morte.
Apocalipse 2:8-11

A igreja de Esmirna era uma das igrejas que eram boas aos olhos de Deus, na carta que Cristo enviou para a igreja, não havia nenhuma exortação ou correção para a igreja. Hoje, juntamente com a cidade de Filadélfia, é uma das poucas cidades que ainda existem. Isso, nos mostra como uma igreja saudável pode ser um diferencial em uma cidade.

Contexto histórico da cidade de Éfeso

Esmirna era rival de Éfeso, pois era a cidade mais bela da Ásia Menor. Era uma cidade comercial, onde ficava um dos principais portos da Ásia. Tinha uma magnífica arquitetura, com templos dedicados a Cibeles, Zeus, Apolo, Afrodite e Esculápio. Hoje essa é uma das duas cidades sobreviventes, com o nome de Izmir, na Turquia, com 255 mil habitantes. Havia sido fundada como colônia grega no ano 1000 a.C., no ano 600 a.C., os lídios a invadiram e a destruíram por completo. No ano 200 a.C., Lisíamaco a reconstruiu e fez dela a mais bela cidade da Ásia. Quando Cristo disse que estivera morto, mas estava vivo, os esmirneanos sabiam do que Jesus estava falando. A cidade estava morta e reviveu.

Jesus apresenta-se a sua igreja

“Ao anjo da igreja em Esmirna, escreva: Estas são as palavras daquele que é o Primeiro e o Último, que morreu e tornou a viver.” Apocalipse 2:8

Jesus se apresenta como aquele que foi morto e tornou a viver justamente devido a ser esse o contexto da cidade. Ela foi destruída e reconstruída. Ela se identifica com Esmirna.

Jesus elogia a sua igreja

“Conheço as suas aflições e a sua pobreza; mas você é rico! Conheço a blasfêmia dos que se dizem judeus, mas não são, sendo antes sinagoga de Satanás.” Apocalipse 2:9

Havia duas palavras para pobreza: ptocheia e penia. Ptocheia significa pobreza total, extrema, era representada pela imagem de um mendigo. Penia significa o homem que carece do supérfluo. Quando João escreveu o livro, ele utilizou a palavra ptocheia para descrever a pobreza dos esmirneanos, ou seja, a igreja naquela cidade viviam em extrema pobreza. Para esses que aos olhos naturais eram pobres, aos olhos espirituais Jesus está dizendo que são ricos. Essa é a melhor riqueza que podemos ter.
Sinagoga de satanás são chamado os judeus que perseguiam a igreja e faziam acusações de: canibalismo (comer carne e tomar o sangue, um simbolismo da ceia do Senhor), impuros (casar-se com “irmãos”, já que todos os crentes são irmãos em Cristo), desleais e revolucionários (negavam chamar César de Senhor, já que o único Senhor é Cristo). Eles distorciam aquilo que eram ensinados nos cultos cristãos para perseguir a igreja.

Jesus aconselha a perseverar diante das perseguições

“Não tenha medo do que você está prestes a sofrer. O Diabo lançará alguns de vocês na prisão para prová-los, e vocês sofrerão perseguição durante dez dias. Seja fiel até a morte, e eu lhe darei a coroa da vida.” Apocalipse 2:10

Essa perseguição por dez dias, provavelmente não era literal, mas uma simbologia de um curto espaço de tempo que a igreja iria sofrer perseguição. Esmirna também tinha um estádio onde todos os anos se celebravam jogos atléticos famosos dos quais participavam atletas procedentes de todo o mundo, os jogadores disputavam uma coroa de louros. Para os crentes e aqueles que perseverar nessa cidade, Jesus prometeu a coroa da vida. A coroa de louros que eles premiavam, era perecível, a coroa que Jesus prometeu para os fiéis é imperecível.

A promessa ao vencedor

“Aquele que tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas. O vencedor de modo algum sofrerá a segunda morte.” Apocalipse 2:11

A expressão segunda morte simboliza a condenação eterna e separação definitiva de Deus. Muitos estavam sendo mortos diante das perseguições à igreja daquela cidade, mas por mais que os cristãos estavam sendo mortos, aqueles que forem fiéis não iriam experimentar a morte eterna, muito pelo contrário, iriam ter vida eterna.

Conclusão

Através da igreja de Esmirna, conseguimos concluir que o melhor nessa vida é a riqueza celestial. Podemos não ter nada nesse mundo, mas se permanecermos fiéis à Deus, teremos tudo na vida eterna. É por isso que o salmista diz: “Melhor é um dia nos teus átrios do que mil noutro lugar.” Salmos 84:10
Não existe melhor lugar do que estar na presença de Deus, era essa a motivação dos membros daquela igreja, e que essa seja a nossa motivação de cada dia. Em nenhum momento eles desanimaram por conta de perseguições e diante até mesmo da morte, o amor que eles tinha por Deus era maior do que qualquer cenário que poderiam ocorrer com eles. Eles são aqueles mencionados em Apocalipse 12:11: “Eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do testemunho que deram; diante da morte, não amaram a própria vida.”
Como a igreja de Esmirna é um exemplo para as igrejas da nossa geração. Que possamos aprender com o gesto dessa grande igreja aos olhos de Deus.

Compartilhe este conteúdo em suas redes sócias:
Imagem padrão
Sérgio Luiz

Apaixonado por teologia e pela bíblia. Pós-graduado em Estudos Bíblicos do Novo Testamento pela universidade Unicesumar. Coordenador e professor da rede de ensino de sua igreja local.

Artigos: 126